Você precisa ficar de olho

Voltamos à era da TV.

Algumas vezes a vida nos dá oportunidades que não podemos recusar.

Uma delas é a de aprender a produzir conteúdo com especialistas do assunto.

Boa parte do aprendizado contínuo vem de entender as mudanças do mercado e transformar seu produto ou serviço de acordo com esses movimentos.

Veja a televisão, por exemplo, de acordo com o Ibope, as mídias digitais (streamings e redes sociais) representam cerca de ⅓ do consumo dos brasileiros — valor similar ao share de audiência da Globo, maior emissora aberta do país.

Os investimentos em publicidade no digital não param de subir, o que não pode ser dito da TV aberta.

E existe um motivo para isso: as pessoas valorizam a personalização e flexibilidade oferecidas pelos serviços digitais, mas isso pode mudar.

O Instagram está testando um novo recurso que está dando o que falar: o Ad Break.

Na prática, você está rolando o feed e, repentinamente, aparece um anúncio, que fica rodando sem poder ser fechado por 3 ou 5 segundos.

Esta atualização é vantajosa para a Meta, já que a maior parte da sua receita vem de anúncios, mas e para o público?

A verdade é que os usuários querem fugir dos anúncios.

Usam bloqueadores, pagam assinaturas premium.

A produção de conteúdo vai mudar.

A opção de assinatura premium em plataformas como o YouTube, que remove anúncios, dificulta a segmentação e o alcance de públicos qualificados por parte dos anunciantes.

Usuários que optam por esses serviços geralmente têm maior poder aquisitivo e, portanto, representam um público-alvo valioso.

Com a exclusão dos anúncios para esses assinantes, as empresas perdem acesso direto a uma base de consumidores potencialmente mais engajada e com maior predisposição para compras.

Isso reduz a eficácia das campanhas de tráfego pago e obriga os anunciantes a buscar alternativas mais eficazes para alcançar esses consumidores premium.

Uma coisa é fato: com o ad break, você, como anunciante, copywriter ou social media, precisa se especializar em criar anúncios que não sejam só uma interrupção, causando o menor atrito possível.

A estratégia que permite fazer isso é o marketing de conteúdo.

>> SE DESTACANDO SEM IRRITAR O USUÁRIO <<

Para que o seu anúncio não seja visto apenas como uma interrupção chata, é preciso que ele consiga se conectar com o público.

Existem dois caminhos para fazer isso:

Conteúdo de valor e identificação.

MEDINDO A CONEXÃO

Para saber se seu anúncio realmente se conectou com seu público e alcançou os resultados desejados, é essencial acompanhar os KPIs (Key Performance Indicators) do Meta Ads. São eles:

• Custo por Clique (CPC)

Esse KPI mede quanto você está pagando por cada clique no seu anúncio. Um CPC baixo indica que você está obtendo cliques a um custo eficiente, o que é um sinal positivo de que seu anúncio está atraindo a atenção do público.

• Custo por Ação (CPA)

O CPA mostra quanto você está pagando por cada ação específica que você deseja que seu público realize, como uma compra ou inscrição. Monitorar o CPA ajuda a entender se o seu investimento está resultando em conversões valiosas.

• Taxa de Cliques (CTR)

A CTR é a proporção de pessoas que clicaram no seu anúncio em relação ao número total de pessoas que o visualizaram. Uma alta CTR indica que seu anúncio é relevante e atraente para seu público.

• Engajamento

Esse KPI inclui todas as interações com seu anúncio, como curtidas, comentários e compartilhamentos. O engajamento é um bom indicador de que seu conteúdo está ressoando com o público e gerando interesse.

• Alcance

O alcance mede o número total de pessoas únicas que visualizaram seu anúncio. É importante para avaliar a amplitude da sua campanha e quantas pessoas foram impactadas pelo seu conteúdo.

• Impressões

As impressões indicam quantas vezes seu anúncio foi exibido, independentemente de ser visto pela mesma pessoa mais de uma vez. É útil para entender o nível de exposição do seu anúncio.

• Relevância do Anúncio

Este KPI avalia a relevância do seu anúncio para o público-alvo, baseado em fatores como engajamento e feedback. Uma pontuação alta de relevância sugere que seu anúncio está bem alinhado com os interesses do público.

• Retorno do Investimento (ROI)

O ROI mede o lucro obtido em relação ao valor gasto na campanha de anúncios. Um ROI positivo significa que a receita gerada pela campanha é maior do que o custo, indicando uma campanha bem-sucedida.

Ao monitorar esses KPIs, você pode ajustar suas estratégias e otimizar seus anúncios para maximizar o desempenho.

Lembre-se, a chave é criar anúncios que não sejam apenas interrupções, mas que realmente se conectem e agreguem valor ao seu público.

Aprenda a usar o poder da internet para impulsionar seu negócio, assim como as estratégias que mais funcionam no digital.

Com o tempo você vai descobrir como transformar essa conexão em um fluxo constante de visitantes para suas redes.

Organização é a única saída.

Ter bons resultados não é uma questão de sorte.

MERCADO MAIS INCLUSIVO

Em 2022, tivemos a primeira pesquisa do país que retratou o cenário das carreiras e salários do mercado de influência no Brasil.

Um raio-X do profissional partindo de seus objetivos até o contexto de diversidade e equidade, foi identificado que esse mercado era jovem (68% entre 26 e 37 anos); pouco diverso (sendo pessoas brancas representando 69%) e sudestino (mais de 70% do eixo Rio, São Paulo e Minas).

De lá pra cá, vimos agências e marcas ganharem áreas exclusivas de marketing de influência, assim como profissionais de data science, power BI e outras tecnologias adentrarem nesse mercado. Será que o cenário atual mudou?

É isso que quero entender, precisamos destrinchar quando falamos de equidade e salário, além de skills que o mercado exige de um profissional.

Você trabalha com Marketing de Influência?

O antídoto contra a anunciofobia. 😱

Para me seguir no Instagram: clique aqui.

Leonardo Coletti

Leonardo Coletti